A pressa é inimiga da conservação



Em, 13.12.2010
Por  Pietra Luña

Segunda-feira, 13. Bem pior do que se fosse uma assustadora sexta. Minha faxineira chegou cantarolando o meteoro do Luan Santana. Trocados os usuais "bom-dia", minha vontade foi entrar em um foguete direto para Saturno, antes de ter um ataque de fúria (ainda mais perigoso nestes meus dias de TPM). Perguntei:

- Maria, você sabe onde está a tampa do liquidificador? É que... Interrompendo, ela disse:
- Sei não senhora!
- Mas... Maria eu nunca mexo nele e é você quem usa todos os dias...
- Não vi não senhora!
- E cadê aquela travessa de barro do conjunto de feijoada?
- Ah, eu não sei não senhora!
- Maria, quem arruma esta casa todos os dias há dez anos?
- Sou eu sim senhora!
- E você não sabe de nada?
- ... 

Maria ficou muda. 

Respirei fundo, raso, sufoquei e nada de me acalmar. 

Lembrei do vaso de porcelana chinesa (de vovó) que ela quebrou, empilhou as peças usando uma cola branca de escola e deixou lá quietinho no mesmo lugar. A blusa de seda, que Jane me trouxe da Europa no ano passado, com uma chamuscada de ferro quente no peito esquerdo (de cortar o coração, com diz o ditado). As peças de roupas claras manchadas de escuro. E... mais um monte de estragos, tudo guardadinho como se nada houvesse. 

São anos e anos, eu ensinando que detesto mentiras, que as pessoas erram e blábláblá, que ela não me deixe levar sustos ao encontrar minhas próprias coisas em estado deplorável, assim "do nada". São anos e anos, eu ficando apressadamente irada às segundas-feiras quando, obviamente, após um fim de semana na cozinha e nos afazeres domésticos, pergunto sobre situações diversas e ela me responde: "não sei não, senhora!" 

Pratos, pires e xícaras lascados nas beiradas, dúzias e dúzias de copos quebrados, botões de eletrodomésticos rachados, soltos, perdidos e  panelas com cabos destruídos... Danos e prejuízos por causa da afobação em terminar o trabalho e da  falta de atenção (ou raiva?). Não sei não, senhora! Não fui não, senhora! Não vi não, senhora! Sei, Maria...

Maria é estabanada, eu sei. Ela não sabe disso não senhora. Mas, é gente boa e da maior confiança. Só não é funcionária padrão, nota dez. Maria é nota 7,0. Melhor que a média, né? 

Foi no final do domingão preguicento, que levei mais um susto. Eu estava faminta de tanto dormir e fui providenciar uma comidinha, até que... Peguei três almofadas, sentei e chorei. Dona de casa ausente é que não sabe o que se esconde por detrás das portas dos armários da cozinha e em suas gavetas esconderijos. (Admito que essa parte do recinto é pouco frequentada por mim, aliás eu a evito). Se eu não sei de nada que acontece na minha casa, por que Maria saberia? Eu sou dona de casa nota 3,0. Bem abaixo da média, né? Sofrível. 

Por isso, a partir de hoje, lanço a máxima: A pressa é inimiga da conservação! Colei uma faixa na porta da cozinha, para mim e para Maria. Tomara que se conserve a relação carinhosa de uma década, sem pressa. Minha ou dela. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares