Encontro desencontrado leva a encontro encontrado


Em, 31.1.2011
Por  Pietra Luña

Tinha um encontro hoje à noite. Pouca vontade de sair de casa, mas o compromisso me ordenou. Lá fui eu pilotar uns 25 km para não encontrar ninguém. Putz! Levei uma pernada e sobrei no tempo que livre ficou. Só que uma rasteira noturna nunca é suficiente para me nocautear. O calor de Brasília está insuportável e já por isso eu não merecia voltar pra casa, além do mais eu estava toda arrumada. Olhei os ponteiros e as 21h se aproximavam. Hum! Ataquei imediatamente o meu cardápio de prazeres e fiquei na dúvida entre as opções 22 e 32. 

Rumei ao Parkshopping. No meio daquele tanto de tapumes me senti perdida (já viram como lá está mudado? Grande demais!). Entrei logo pelos cinemas da rede Severiano Ribeiro- Kinoplex- (nunca tinha ouvido falar hehehe). Os paineis indicavam que ainda estamos em época de férias infanto-juvenis. Só filme que não me atraia. Porém, pensei: Oh! Pietra tanto tempo sem ir ao cinema... insiste em algum ai vai... Tá bom! A escolhida foi a comédia-dramática-romântica "Amor e outras drogas".

Quando chego no caixa sou surpreendida com "moça, o ingresso custa 35 reais, porque é na sala platinum". Fizemos um rápido bate-bola - Eu: ahn?!?!? Ela: É, sala especial. Eu: O que tem lá? Ela: Cadeiras reclináveis. Eu: Hum...Quero! 

Eu estava ali, afinal, por prazer não é mesmo? Nada como experimentar um lugar nunca ido antes. A breve ansiedade de romper, com os olhos curiosos, o novo e, depois, esmiuçar cada pedaço do instante ao tentar entender como é isso, como funciona aquilo, que gosto tem, que cheiro. Comprei as pipocas, o refri, desliguei o celular e fui ser VIP por duas horas, sem filas, sem cabeças, sem empurra. 

Adorei! Vale cada centavo. A poltrona é excelente, me senti em casa de tão confortável sobre aquelas espreguiçadeira de couro (ecológico, dizem) azul, macia e longa. Tirei os sapatos, apoiei os comes e bebes na mesinha de madeira clara, sorri por dentro e me agradeci pela oportunidade de perceber que um encontro desencontrado sempre pode levar a outro encontro encontrado (ahahahah). 

E, o filme? Rendeu boas gargalhadas, fez uma excelente crítica ao mercado médico-farmacêutico, cumpriu o papel de reafirmar o amor idealizado e romantizado pela mídia e deu um recadinho sobre "vazios, cuidados e reciprocidade". Pelo conjunto da obra, minha noite foi nota dez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares